Como avaliar competências e habilidades dos alunos? Confira!

O cenário atual permite que o aluno se torne protagonista do seu próprio desenvolvimento. Entretanto, para evitar um mau desempenho escolar, as instituições de ensino precisam focar no desenvolvimento das competências e habilidades dos seus estudantes.

No currículo tradicional, o educador domina a sabedoria e repassa as informações aos estudantes — que devem decorar ou apenas assimilar o conteúdo. Porém, atualmente, o conhecimento é aberto a qualquer pessoa com acesso à internet. Assim, muito mais do que saber, é essencial entender como aplicar esse conhecimento.

Pensando nisso, preparamos este artigo para você realizar uma avaliação contínua das competências e habilidades dos alunos, a fim de adotar medidas para melhorar a performance escolar. Boa leitura!

O que é a avaliação de competências e habilidades?

Competência é a capacidade de solucionar problemas e tomar decisões de forma acertada. A habilidade é o domínio sobre a realização de alguma atividade. Dessa forma, é importante desenvolver habilidades para que a competência seja cada vez mais aprimorada.

A dinâmica de ensino e aprendizagem permite que o professor e o aluno tenham um contato que vai além da simples transmissão de conteúdo. Diariamente, o educador pode identificar como os seus estudantes estão com relação à curiosidade, vontade de aprender e empenho, por exemplo.

Avaliar essas competências é uma etapa fundamental do processo educativo e permite identificar obstáculos, determinar objetivos e planejar ações para serem tomadas, ao longo da trajetória escolar, que beneficiem as habilidades desenvolvidas pelos alunos.

Qual é a importância de trabalhar essas aptidões na escola?

Trabalhar e avaliar as habilidades e competências na sala de aula é fundamental para orientar o estudante com relação à importância desse desenvolvimento e da sua relação com o desempenho escolar.

Desenvolver novas aptidões é importante para o crescimento dos estudantes na sociedade. Para o sucesso social e profissional, é preciso saber tomar decisões e resolver conflitos — competências que podem ser ampliadas na sala de aula.

Além disso, o mercado de trabalho também passa por constantes transformações. Em 2030, estima-se que 85% das profissões que serão exercidas ainda não foram inventadas. Por isso, é essencial instruir os indivíduos para que se adaptem a esse panorama.

Como otimizar a avaliação?

A avaliação deve ser contínua, com investigação dos pontos positivos e pontos de melhoria. Os dados obtidos com as análises no ambiente escolar podem ajudar gestores e educadores a criar práticas pedagógicas personalizadas.

A seguir, confira algumas formas de otimizar a avaliação de competências dentro da escola.

Conte com atividades e ferramentas online

Já existem plataformas que permitem uma avaliação rápida e eficaz das habilidades desenvolvidas pelos alunos.

Para isso, o professor pode disponibilizar atividades online, no mesmo sistema que fará a análise do tempo que o aluno gastou estudando, para verificar a porcentagem de acertos. Depois, o assunto pode ser discutido nas aulas presenciais — assim como ocorre na sala de aula invertida.

Incentive o estudo em grupo

Trabalhos em grupo valorizam a colaboração entre os estudantes e promovem o pensamento crítico. Por isso, é interessante realizar atividades que possam ser cumpridas em duplas ou em pequenos grupos. Além disso, elas devem estimular a criatividade, a colaboração e a inovação por parte dos alunos.

Realize jogos e dinâmicas em sala de aula

Com jogos lúdicos e tarefas dinâmicas, é possível divertir, identificar e aprimorar características como a resiliência, o trabalho em equipe e a liderança. Além de descontrair, essas atividades também têm regras e estratégias que devem ser cumpridas, ajudando o educador a reconhecer os pontos fortes de cada educando.

Ajudar o jovem a desenvolver suas competências e habilidades é essencial para prepará-los para situações que se tornam cada vez mais exigentes e desafiadoras. Por isso, o ambiente escolar deve permitir que os estudantes tornem-se agentes ativos no processo de aprendizagem.

Se você gostou do conteúdo, curta a nossa página no Facebook! Assim, você recebe outras informações educacionais diretamente no seu feed de notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *